00:13:13 – TEATRO CONTRA O PRECONCEITO

00:13:13 – TEATRO CONTRA O PRECONCEITO

AEE /

Na tentativa de entender e ultrapassar o preconceito, surgem as personagens desta história: o Conceito e os seus significados – O que o espírito concebe, Opinião, Reputação, Dito Sentencioso, Parte Final de uma Charada, Símbolo. Em diálogo aberto e despretensioso, vão retirando as máscaras e despindo os falsos conceitos, na busca incessante da verdade e na redescoberta da esperança. 

00:13:13, espetáculo concebido pelos professores Carlos Oliveira, Graciete Oliveira e Rui Vidal em 2003, foi apresentado no concurso “Sida nos Palcos”, promovido pela Administração Regional de Saúde de Aveiro e representado em diversos locais do Distrito. Reposto em 2005, pelo Curso Tecnológico de Ação Social, e em 2010, pelo grupo de Teatro Universitário de Intervenção, do Centro de Aconselhamento e Orientação de Jovens de Coimbra, volta agora a cena, pelo Clube de Teatro da Escola Secundária de Estarreja, numa reinterpretação proposta pelos professores Rui Vidal e Alzira Rosa. 

Neste Conceito, dos desafiantes e primordiais 13 minutos e 13 segundos de tempo dramático, que justificavam o título da peça e desconstruíam desde a génese a temática do preconceito (o que vem antes do conceito) e da superstição (o que está por cima), passámos ao estímulo da expansão do tempo e do diálogo. Seguimos em espiral, atrás do Símbolo, e acima da Raiz que constitui a balança deste renovado Aequilibrium. Subimos à árvore e bebemos do fruto. 

Inspirados na penúltima frase da nossa personagem principal, Conceito, em latim, Ação de conter, O conteúdo, Ação de receber, Conceção, Germinação, Fruto, feto, Conceção, pensamento, noção, trouxemos os simbolismos da Árvore da Vida e escolhemos as cores da Flor da Laranjeira. E o poeta Alberto Estima de Oliveira, que esteve cá desde o início, abriu-nos a porta a Álvaro de Campos, Carlos Drummond de Andrade, Nuno Júdice, António Ramos Rosa, Eugénio de Andrade, Sophia de Mello Breyner Andresen e ainda a um certo aroma de Natália Correia. 

Neste eterno e cíclico conceito contra o preconceito, num Abraço à árvore do conhecimento com seus multipétalos uivos, trepámos aos ramos também com o Curso de Técnico de Fotografia do 12.º Ano, sua Coordenadora Patrícia Balacó, ficando o Conceito iconicamente representado pela velha laranjeira da raiz à copa, O que o espírito concebe, pela flor da laranjeira, a Opinião, pela copa, o Dito Sentencioso, pelos nós do tronco, a Reputação, pelas folhas e seus matizes, a Parte Final de uma Charada, pelo tronco, e a laranja (“podes beber o sumo do copo dela?”), pelo Símbolo. Quanto à escultura da raiz, José de Oliveira e o seu Equilíbrio. 

Agora, falta só ir ao Teatro...

 

00:13:13 2018 

Dramaturgia: Rui Vidal, Alzira Rosa 

Encenação: Rui Vidal 

Interpretação: Laura Olim, Henrique Marques, Mariana Marques, Inês Silva, Daniela Tavares, Angel Da Silva, Nelson Pinho, Tiago Almeida 

Músicos: Licínio Tavares, Miguel Valente 

Performers do Equilíbrio: Adriana Portugal, António Pinto, João Oli-veira, João Ramos, Tomás Ferreira; direção de Cidália Fonseca e Carlos Oliveira 

Cenografia e figurinos: Rui Vidal, Alzira Rosa 

Sonoplastia e vídeo; Carlos Oliveira, Rui Vidal 

Desenho de luz : Rui Vidal 

Fotografias: 12.º M, Patrícia Balacó 

Desenho gráfico: Patrícia Balacó 

Apoio à elocução: Alzira Rosa 

Pesquisa linguística e literária: Alzira Rosa 

Texto de folha de sala: Alzira Rosa 

Antestreia: 25 de maio, Cine-Teatro de Estarreja 

Estreia: 5 de junho, Escola Secundária de Estarreja 

Produção Executiva: o que o espírito concebe… 

Pintura no Powerpoint: Paul Bond, 

An Expedition of Supreme Benevolence 

Temas musicais: Sam the Kid, Gonzalez Uber Alles, Nitin Sawhney